segunda-feira, 21 de outubro de 2013

Feministas coerentes devem ser veganas

Sei que algumas feministas sentem-se incomodadas comigo. Já sofri discriminação em grupo feminista. Assim como na causa animal, Gary Francione já descreveu algumas feministas como 'bem estaristas', pois têm ideias que endossam a exploração, como por exemplo apoiar a prostituição humana e defender a escravidão de fêmeas, vacas, porcas, galinhas, desconsiderando a grave e íntima relação entre a condição de fábrica de filhotes, leite e matéria prima e a exploração generalizada do ser humano e da própria natureza.
Outras feministas nem sabem sobre a relação forte e óbvia entre veganismo e feminismo, ou o chamado ecofeminismo e outras associações, diferentes do Mainstream feminista.
Pois é minha filha, eu sou feminista. E das 'radicais'. (Detesto a palavra radical, sempre na boca do povo 'bom senso').

Foto de Doris Helena Rossi Matte
Assim como na causa animal, o feminismo está cheio de gente preconceituosa e intolerante. Os grupos feministas nunca saem daquela coisa de esquerda rançosa (chata) ou então baseados unicamente em certas orientações sexuais. De modo que, se você não for de certo partido ou de certa orientação, ou mesmo se não veste as roupas certas, é discriminada sim. Não é ouvida. Na causa animal, idem. E isso aqui no Brasil.
Chiquinha é feminista. É uma das qualidades que descrevem a personagem de Maria Antonieta de Las Nieves
Eu apoio e gosto de participar de atividades feministas. Me espanto quando algumas feministas não sabem do que estou falando, quando coloco certas provocações. Encaram quem é diferente com uma certa reatividade que não precisariam ter.
E ainda estão em discursos um tanto atrasados (eu tenho uma boa leitura de material feminista, entre livros e vivências). Posso falar.
Nós ainda sofremos preconceitos. Nos salários, na política, na profissão, na vida doméstica e ainda sofremos violência e discriminações de todos os tipos, de todas as classes sociais e mais ainda, entre as mulheres. Mas isso não justifica se ater em discursos ultrapassados.
Neste domingo, enquanto a Vanguarda Abolicionista e parceiros faziam uma manifestação contra a vivissecção e em apoio à ação realizada no Instituto Royal, participei de uma atividade que adorei, um flash mob com danças, para conscientizar sobre o Outubro Rosa. Dançar é a melhor coisa que existe! Parabéns aos realizadores dessa atividade. Parabéns às dançarinas lindas e fortes, pois eu fiquei sem fôlego, enquanto elas estavam a mil...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...