sábado, 23 de agosto de 2014

Veganas no evento de fitness

Preparada para uma social no evento de fitness. Fui com minha roupa de sempre, pois vivo esportiva. Legging e camiseta com barriguinha de fora, pois tava calor e estava louca para me aparecer. Estou sendo sincera.
Imaginei que estaria à altura do evento. Me enganei. As pessoas estavam arrumadíssimas. Tudo bem, eu adoro chocar! Adoro ir em todos os eventos que existem pela cidade. Assim conhecemos a cultura, nos fazemos presente, conhecemos pessoas. Eu gosto mesmo de fazer amigos. Fui para tomar uns bons copos de água, refrigerante, café, pois o restante não poderia provar: comida - nada vegano, não bebo também. E para os chatos ou pseudolibertários - não, não tem nada a ver com o veganismo o fato de eu não beber. Não bebo por que não estou a fim.
Os eventos são nada democráticos pois pensam que todos tem a mesma cabeça - só que não é bem assim. Tem muita gente diferente no mundo, só que não no mundo dessa gente.
foto de Marcio de Almeida Bueno/http://diretodeportoalegre.blogspot.com.br/
Os olhares logo na entrada já provocaram minha vontade de rir. Foram diretamente para minha barriga, para minha roupa, etc. Puxa, era um evento de moda esportiva, eu estava à vontade.
Andamos pelo salão todo, conversamos, fomos bem atendidas pelos anfitriões, isso sim! Fomos fotografadas, claro. Não posso me queixar de que nossa beleza chamou a atenção.

De repente, o fato de sermos veganas logo foi notado por três patricinhas bem ao nosso lado. De uma forma bem deselegante elas começaram a conversar alto e a falar sobre o assunto, de uma forma meio preconceituosa, sem se dar conta de que o lugar era um cubículo e que qualquer de nós poderia notar e ouvir suas línguas de trapo.

Dei um jeito de deixar claro de que estávamos ali. Não sei se puderam notar. Pois estas pessoas gostam de constranger, mas não aceitam serem constrangidas.

É curioso que neste mundinho de gente que se submete sem muitos questionamentos a tratamentos estéticos, 'detox', malhação, bombas, musculação, parafernálias idiotas para 'ficar bonita (o)' (e eu vejo nestes lugares algumas pessoas cada vez mais envelhecidas), etc etc, mas achem tão completamente estranho o fato do outro adotar um estilo diferente de vida...
No extremo da sala, outra pessoa disse para uma amiga minha, do meu lado: "não é bom ser tão magra".
Num minuto antes, era um elogio sobre minha magreza e agora fazia conciliação besta falando essa frase sem sentido. Não é bom? Ué?
As mulheres (e já vi até alguns homens) não suportam ver uma pessoa magra e parece que uma hora a coisa vaza e elas têm que falar alguma coisa! E tem que ser nesse nível. Ou elas ficam quietas e estoura em outro lugar, como neste comentário desnecessário. Tipo, não é bom ser tão magra, então por que tanto papo idiota sobre regime, elogios sobre minha magreza um minuto antes???
Eu prefiro silêncio. Do que ouvir qualquer coisa infantil, primária.
Se alguém vem pedir uma dica ou desabafar sobre o fato de precisar emagrecer, etc, eu incentivo a assumir seu corpo, ou então emagrecer se é isso mesmo o que ela/ele quer. Mas jamais digo uma idiotice dessa. Eu acho muito bom ser magra. E conheço mulher que adora ser gorda. Conheço mesmo, pessoalmente.
E acho que tem que ser isso mesmo, tem que se gostar.
Para quem acha que é puro esnobismo, já vou avisando: Tire seu asno/cão/mula/homem/mulher da chuva. Não é não. Já sofri muito preconceito pelo fato de ser magra, já ouvi muita coisa, sei o que as pessoas passam, tanto gordos como magros, sei que a sociedade é feita de pessoas imperfeitas, mas as pessoas não sabem disso. Hoje eu gosto de mim e espero de coração que todos se aceitem e vejam a beleza em si mesmos.
foto de Marcio de Almeida Bueno/http://diretodeportoalegre.blogspot.com.br/
E para quem caiu no mundo hoje de manhã:
Preocupar-se com a opinião do macharedo - Os camaradas não se importam, ao contrário, os bons mesmo adoram mulher de verdade, que se assumem.
As mulheres, mulherzinhas, como as que eu vejo em alguns lugares, estão preocupadas na maior parte do tempo com elas mesmas, e se te examinam, é para se comparar.
Já vi mulher olhar para minha barriga com "olhos de Kiko" (o do Chaves) e depois olhar bem para a minha bunda, na praia e aqui mesmo na cidade. Acho que o machismo existe e toma conta por causa da tirania desse tipo de mulher/ e tem aos montes.
Mas existe algo super natural que é aquela pessoa que se importa com outra pessoa, que tem corpo ligado ao cérebro e ali tem mente. A conversa flui numa boa e o corpo não segura a alma.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...